MEMBROS

Joshua Dun

Foto de @BradHeaton | 2017

Mais informações

Eu lembro de quando estava na quinta série… não tire sarro de mim… eu era um pouco mais que obcecado com trompetes. Quando eu penso na minha introdução à música, me vêm à mente memórias bem vívidas de mim sentado assistindo a performance da orquestra de jazz de Columbus com o meu avô e adorando qualquer coisa que o trompetista estivesse fazendo. Eu estava enfeitiçado por algum motivo. Aí começou minha jornada na música. Eu comecei a ter aulas e consegui ser decentemente bom no trompete depois de dedicar um tempo aprendendo como ler partituras e tocar músicas mais avançadas.

Alguns anos depois, quando eu estava fazendo 13 anos, fiquei bem interessado na bateria. Eu então cheguei a um ponto de frustração quando percebi que as únicas coisas que eu conseguia tocar no trompete eram notas num pedaço de papel. Eu não conseguia criar ou escrever minhas próprias músicas porque nunca me desenvolvi como sendo esse tipo de músico. Como resultado, eu fiz questão de não ter aulas de bateria e ser o mais artístico e criativo possível enquanto aprendia sozinho. Eu queria encontrar meus artistas e estilos musicais favoritos e fundir tudo isso para criar meu próprio estilo.

A partir disso eu fui sortudo o suficiente para tocar música com uma variedade de pessoas, mas essa banda/projeto/movimento (o que você quiser chamar), é o mais divertido para mim. A razão disso é que eu estou viajando com dois outros caras que tem a mesma mentalidade e visão criativa de pensar fora da caixa que eu. Derrubando barreiras de estilos para tentar criar algo diferente. Existe e sempre irá existir algo especial em fazer uma coisa única, só sua, não importa o que isso seja… faça do seu jeito.


Tyler Joseph

Foto de @BradHeaton | 2017

Mais informações

Eu odeio como algumas “bios” falam na terceira pessoa quando sabemos muito bem que a banda escreve sobre eles mesmos. “Tyler é o cantor e toca piano.” Não. De qualquer forma, eu venho compondo músicas desde que tinha uns 16 anos, e eu realmente sinto que comecei essa jornada musical um pouco tarde. A primeira música que eu aprendi sozinho a tocar no piano era uma criação minha. Eu fui atraído a escrever músicas logo de cara. Tocar músicas de outras pessoas nunca me animou muito. Eu me lembro de assistir um dos meus primeiros shows num bar extremamente pequeno em Columbus e sair de lá com dois fortes sentimentos: um, eu sabia o que eu queria fazer na vida; e dois, eu sabia que tinha muito trabalho para fazer até chegar lá.

Eu tenho escutado muitas pessoas me perguntarem, “Como eu explico pra alguém que tipo de música vocês tocam?”. Eu tenho muito orgulho dessa pergunta, e ainda assim fico bem envergonhado do fato de não ter uma resposta para eles. Nosso estilo estranho é do jeito que é principalmente por causa do fato de que eu não faço ideia do que é certo ou errado quando se trata de escrever uma música. Eu comecei escrevendo poesia e depois tentei encaixar as palavras numa música, mas sempre tinha palavras demais. Então comecei a simplesmente falar as palavras em vez de cantá-las e rapidamente percebi que estava fazendo rap. Até eu sabia que aquilo era muito ilegal para eu fazer. Então, eu varri isso para baixo do tapete por um tempo e só o meu irmão, Zack, sabia disso. Um dia antes de um dos meus primeiros shows ele me perguntou, “Você vai cantar rap?” eu olhei para ele com desgosto e disse, “Claro que não.” Aí ele disse, “Ah, ok. Bom, me avise quando você for cantar e aí eu vou pro seu show.” Tenho cantado rap desde então.

[Texto extraído do site oficial da banda e traduzido pela nossa equipe]