Josh Dun indicado a Melhor Baterista de 2016

Publicado por Mutant Kids Brasil - Arquivada em 2016

Josh Dun foi indicado a Melhor Baterista de Rock Internacional na premiação Best In Drums 2016. Veja como votar e confira nossa lista de vídeos que mostram que ele merece o prêmio,

best-international-rock-drummer-650-80

Music Radar é um site da Future plc, uma companhia que publica revistas destinadas às mais variadas vertentes da música. Uma dessas revistas é a Rhythm Magazine, totalmente dedicada a bateristas. No final de julho, Josh cedeu uma entrevista ao Music Radar que traduzimos aqui no site na qual ele falou sobre o começo difícil na banda.

Todo ano, o site britânico faz uma votação chamada Best In Drums em associação à Rhythm Magazine. Ela é dividida em diversas categorias, como Best Jazz Drummer, Best Metal Drummer, Best New Drummer, entre outras. Na edição desse ano, Josh foi indicado na categoria Best International Rock Drummer (ou Melhor Baterista de Rock Internacional), a maior da premiação. Nela concorrem bateristas de bandas clássicas como Guns N’ Roses e Red Hot Chili Peppers, inclusive Travis Barker, amigo de Josh da banda blink-182.

Vote pelo site oficial aqui. Seu voto só é contabilizado uma vez, quando você recebe a mensagem “Thank you for voting!” (Obrigado por votar!). Ao tentar votar de novo, a mensagem que surge é “Thank you, we have already counted your vote.” (Obrigado, já contamos o seu voto.)

A lista completa de indicados é:

Se você não tem motivos o suficiente pra votar no Josh, dê uma olhada nesses vídeos:


  1. S Family com Josh Dun: Nesse vídeo, Josh toca Lane Boy acompanhando apenas o instrumental da canção e fala sobre a importância da bateria para ele. Também vemos que ele usa baterias da SJC e pratos da Zildjian e ele explica o porquê.


2. Dual Drums: Nas primeiras turnês, Josh e Tyler tinham um número perto do fim da setlist no qual tocavam juntos ao som de um remix de Guns For Hands. Esse vídeo é de 6 de julho de 2014 em um pequeno festival em Roterdã, onde, por acaso, aconteceu a última edição no EMA (onde eles levaram dois prêmios!). Por volta dos 30 segundos, Josh deixa uma das baquetas cair e continua tocando sem perder o ritmo.


3. Dueto de We Found Love na bateria: essa performance aconteceu no University of Pittsburgh’s Bigelow Bash em 2012. Eles remixaram We Found Love e fizeram uma versão diferente do que viria a ser o número dual drums pra fechar os shows nos anos seguintes.


4. Nessa versão mais atualizada do Dual Drums em 16 de dezembro de 2013, os garotos tocavam com baquetas de neon e um instrumental mais eletrônico ao fundo. O engraçado é que por volta de 2:15, Josh parece acidentalmente bater com a baqueta no olho e para de tocar por alguns segundos. Na verdade, se você procurar outros vídeos do número ao vivo, isso é uma brincadeira que faz parte da performance. Isso meio que te faz se perguntar se ele realmente erra às vezes (como no segundo vídeo) ou tá só brincando. Quem pode, pode!


5. Josh tinha uma sessão de solo na bateria em que tocava algumas de suas músicas favoritas. Nesse vídeo de 19 de outubro de 2012, ele faz cover na bateria de “Mercy” do Kanye West, “Bad Girls” da M.I.A., “Killin’ It” da Krewella, “Turbulence” do Laidback Luke e Steve Aoki com Lil Jon e “Gangnam Style”, do Psy, que era o hit do momento na época.


6. Artist Challenge: Depois de chamarem a atenção com seus duelos ao vivo, Josh e Tyler foram desafiados a fazer uma batalha de bateria… Usando cadeiras e cabides! Traduzimos o vídeo no nosso canal:


7. Drum Island: Durante as apresentações de Ride na Blurryface Tour e na Emotional Roadshow, a crew leva a bateria de Josh até a plateia e ele toca lá mesmo com o apoio dos fãs! (trocadilho intencional). Nesse vídeo do show em Columbia em 10 de junho de 2016, ele tocou com tanta força que quebrou uma das baquetas.


8. Drum Line: Na Emotional Roadshow, twenty one pilots aprimorou a apresentação de Tear In My Heart com um bônus no final. Josh e os mascarados tocam em marcha ao som de um remix da canção. (A Drum Line começa aos 04:08). Esse show aconteceu em Cincinnati em 31 de maio de 2016.


9. Um dos momentos mais emocionantes dos shows é o finale com Trees, quando Josh e Tyler vão até a plateia com tambores e tocam o final da canção. Esse vídeo é do Lollapalooza Brasil que aconteceu em março de 2016.


10. Outro comprovante de que Josh toca a bateria com muita paixão é o fato de que ele já quebrou o bumbo da bateria duas vezes, algo que é muito difícil de se fazer. Veja o registro desses momentos com legenda:

 


Acompanhe a gente também nas redes sociais:

• Facebook: facebook.com/mutantkidsbr
• Twitter: twitter.com/mutantkidsbr
• Canal no YouTube: youtube.com/c/mutantkidsbrasil
• Instagram: instagram.com/mutantkidsbrasil

Comunicado

Por decisão unânime, a equipe da Mutant Kids Brasil decidiu dar uma pausa indeterminada nas atividades do portal.

No dia 02 de setembro de 2020, Tyler Joseph demonstrou indiferença a causas sociais que são importantes para nós e por isso não nos sentimos mais confortáveis em continuar o nosso trabalho de cobrir a banda twenty one pilots.

Depois de meses recebendo mensagens de fãs pedindo que ele se posicionasse em suas plataformas digitais em relação a tópicos importantes, como o movimento Vidas Negras Importam nos EUA e a crescente onda de homofobia na Europa, Tyler publicou uma foto usando tênis de plataforma (salto) como piada, dizendo que estava sim usando sua plataforma.

Horas depois de causar controvérsia, ele começou a falar sobre saúde mental, dizendo que é essa a sua causa, e que ele já carrega peso demais, mas que admira quem batalha por outras causas.

Não é a primeira vez que ele diz algo assim. Em 2016, quando o casamento homoafetivo foi enfim legalizado nos EUA (país onde Tyler mora), ele ficou em silêncio. Ao ser perguntado sobre o que ele achava, Tyler publicou uma mensagem dizendo que não havia postado sobre isso porque "qualquer outra causa, não importa o quão nobre seja, torna-se um peso grande demais para carregar". Ele pediu paciência até que um dia ele "consiga carregar mais peso".

Isso nos leva a concluir que Tyler ainda não aprendeu a carregar o "peso" que nós somos, 4 anos depois. Não sabemos se faz sentido dedicar nosso tempo e energia a alguém que nos enxerga desta forma. A impressão que temos é que as nossas batalhas não são as mesmas, como ele dizia. E isso nos magoa.

Não achamos que todas as celebridades são obrigadas a se posicionar sobre tudo. Mas acreditamos que as pautas sobre identidade estão diretamente ligadas à saúde mental, base sobre a qual a banda construiu sua carreira. Tyler mencionou dados sobre depressão e suicídio, por exemplo, mas ele não olha mais fundo na questão. Há diversos estudos que relacionam esses males ao preconceito que pessoas negras e LGBTQ+ sofrem. É preciso enxergar os fãs.

Não estamos publicando esse texto como uma tentativa de convencer vocês a pensarem como nós. Assim como muitos defendem a opção de Tyler de não se pronunciar, esperamos que entendam a nossa perspectiva. Nossa equipe é e sempre foi diversa, com contribuição de pessoas de diferentes estados, grupos sociais, gêneros, sexualidade, religião e posicionamento político. Infelizmente, não nos sentimentos tão acolhidos pela banda como antigamente, e assim como diversos outros portais pelo mundo estamos tomando essa decisão.

O site, as redes sociais e o canal no YouTube continuarão no ar para quem quiser conferir o conteúdo que publicamos sobre a banda desde 2014.

Holler Box
%d blogueiros gostam disto: