twenty one pilots conquista mais um VMA

Publicado por Matheus Lopes - Arquivada em 2017

A banda levou o prêmio de Melhor Vídeo de Rock com Heavydirtysoul

O Video Music Awards é a premiação da MTV que honra os vídeos favoritos do público no último ano. Na edição de 2017, twenty one pilots recebeu uma indicação na categoria Best Rock Video (Melhor Vídeo de Rock) com Heavydirtysoul e levou o prêmio no fim da noite. Os outros indicados eram Coldplay – A Head Full Of Dreams, Fall Out Boy – Young and Menace, Foo Figthers – Run e Green Day – Bang Bang.

Esse foi o segundo VMA do twenty one pilots, que ganhou na mesma categoria em 2016 com o vídeo de Heathens.

A cerimônia de entrega dos prêmios durou mais de 4 horas, mas a categoria de Rock simplesmente foi ignorada pela produção e não foi anunciada no programa ao vivo. Só soubemos do resultado momentos depois do fim da transmissão, quando a lista dos vencedores foi anunciada no site. Os perfis da MTV e do VMA nem sequer falaram sobre a categoria em suas redes sociais.

Como a banda e o diretor não estavam presentes, parece que receberam os troféus antes. Andrew Donoho postou uma foto de seu astronauta no Instagram com uma mensagem de agradecimento aos fãs por votarem. Mark Eshleman (diretor criativo) e Brad Heaton (fotógrafo) também comemoram a vitória nas redes sociais.


“Ganhei um VMA com twenty one pilots pelo segundo ano seguido! Meu astronauta ganhou um irmãozinho. Obrigado pelos votos e apoio e palavras gentis. Amo todos vocês. Muito orgulhoso da equipe!”

– Andrew Dohono.



Opinião: O silêncio da banda e o erro da indústria da música

Depois da declaração de Tyler sobre não se sentir bem em premiações e pelo fato de a banda estar em pausa até o próximo álbum, já era de se esperar que ele não iria ao VMA. Por um momento, achamos que Josh poderia estar lá, já que Michael Gibson (amigo e ex segurança da banda) postou um vídeo da performance de Kendrick Lamar da plateia e eles costumavam ir juntos a esses eventos.

Mas Josh estava em um pedido de casamento de um amigo, como vimos em uma postagem no Instagram. twenty one pilots continua na sua onda de silêncio e os garotos não falaram nada nas redes sociais sobre a vitória ou sobre os fãs.

Embora muitas pessoas fiquem chateadas com isso, é bom refletir um pouco e se colocar no lugar deles. Não apenas de Josh e Tyler, mas de todos os artistas categorizados como alternativos, punk, rock e até metal. Todos esses gêneros e suas diversas vertentes estão sendo reduzidos à categoria de “Rock”, que recentemente virou um termo genérico onde jogam tudo o que não é pop, dance ou hip hop.

Enquanto algumas pessoas discutem sobre uma banda ou outra “não ser rock de verdade”, o problema real é o descaso da indústria da música com todos os subgêneros do rock. No fim não importa se você acha que twenty one pilots não é rock porque não tem guitarras ou se Coldplay e Paramore estão usando batidas pop demais nos últimos álbuns. Se a mídia continuar sabotando tantos artistas desse jeito, logo não haverá espaço para bandas no mainstream. Vimos muitas mensagens de pessoas que assistiram ao VMA esperando algum destaque para as bandas da categoria ignorada.

Além da gafe de terem cortado o vídeo de tributo a Chester Bennington do Linkin Park, podemos pensar em todas as bandas que poderiam ter sido convidadas para tocar na premiação além das que foram indicadas à categoria de melhor vídeo ignorado de rock. Imagine Dragons, Paramore, The Killers, Arcade Fire, Royal Blood, Fall Out Boy (que estava na plateia!): todas elas lançaram músicas recentemente.

Pelo menos nem tudo no pop são sorrisos falsos e marketing sobre brigas entre cantoras: P!nk trouxe seu novo single “What About Us”, que é um apelo social por mudanças. Alessia Cara e seu hino de aceitação pessoal “Scars To Your Beautiful” e “1-800-273-8255” de Logic com a própria Alessia e Khalid foram muito importantes. O título da música é o número americano de apoio a pessoas que estão considerando cometer suicídio, correspondente ao 141 no Brasil.

A questão de trazer o rock de volta não é só pelo barulho da bateria. O rock costuma ir a lugares aonde o pop não vai e sua exclusão torna as coisas muito artificiais. Como Logic disse, essas músicas falam “de algo que a mídia mainstream não quer falar: saúde mental, ansiedade, depressão e muitas coisas, […] como discriminação, sexismo, racismo, violência doméstica e abuso sexual.”



Saiba mais sobre as conquistas e prêmios do twenty one pilots na nossa seção CHARTS.


Acompanhe a MKBR:

Facebook
Twitter
Instagram
Canal no YouTube 
Galeria de fotos
Grupo de fãs no Facebook

Comunicado

Por decisão unânime, a equipe da Mutant Kids Brasil decidiu dar uma pausa indeterminada nas atividades do portal.

No dia 02 de setembro de 2020, Tyler Joseph demonstrou indiferença a causas sociais que são importantes para nós e por isso não nos sentimos mais confortáveis em continuar o nosso trabalho de cobrir a banda twenty one pilots.

Depois de meses recebendo mensagens de fãs pedindo que ele se posicionasse em suas plataformas digitais em relação a tópicos importantes, como o movimento Vidas Negras Importam nos EUA e a crescente onda de homofobia na Europa, Tyler publicou uma foto usando tênis de plataforma (salto) como piada, dizendo que estava sim usando sua plataforma.

Horas depois de causar controvérsia, ele começou a falar sobre saúde mental, dizendo que é essa a sua causa, e que ele já carrega peso demais, mas que admira quem batalha por outras causas.

Não é a primeira vez que ele diz algo assim. Em 2016, quando o casamento homoafetivo foi enfim legalizado nos EUA (país onde Tyler mora), ele ficou em silêncio. Ao ser perguntado sobre o que ele achava, Tyler publicou uma mensagem dizendo que não havia postado sobre isso porque "qualquer outra causa, não importa o quão nobre seja, torna-se um peso grande demais para carregar". Ele pediu paciência até que um dia ele "consiga carregar mais peso".

Isso nos leva a concluir que Tyler ainda não aprendeu a carregar o "peso" que nós somos, 4 anos depois. Não sabemos se faz sentido dedicar nosso tempo e energia a alguém que nos enxerga desta forma. A impressão que temos é que as nossas batalhas não são as mesmas, como ele dizia. E isso nos magoa.

Não achamos que todas as celebridades são obrigadas a se posicionar sobre tudo. Mas acreditamos que as pautas sobre identidade estão diretamente ligadas à saúde mental, base sobre a qual a banda construiu sua carreira. Tyler mencionou dados sobre depressão e suicídio, por exemplo, mas ele não olha mais fundo na questão. Há diversos estudos que relacionam esses males ao preconceito que pessoas negras e LGBTQ+ sofrem. É preciso enxergar os fãs.

Não estamos publicando esse texto como uma tentativa de convencer vocês a pensarem como nós. Assim como muitos defendem a opção de Tyler de não se pronunciar, esperamos que entendam a nossa perspectiva. Nossa equipe é e sempre foi diversa, com contribuição de pessoas de diferentes estados, grupos sociais, gêneros, sexualidade, religião e posicionamento político. Infelizmente, não nos sentimentos tão acolhidos pela banda como antigamente, e assim como diversos outros portais pelo mundo estamos tomando essa decisão.

O site, as redes sociais e o canal no YouTube continuarão no ar para quem quiser conferir o conteúdo que publicamos sobre a banda desde 2014.

Holler Box
%d blogueiros gostam disto: