Linkin Park é a banda alternativa do ano no AMAs

Publicado por Matheus Lopes - Arquivada em 2017

 

A cerimônia de premiação dos American Music Awards aconteceu no último domingo (19 de novembro) em Los Angeles. twenty one pilots concorria pelo segundo ano seguido na categoria Artista de Rock Alternativo Favorito, que esse ano foi conquistada pelo Linkin Park. A outra banda indicada, Imagine Dragons, marcou presença e apresentou com o novato cantor Khalid um mash-up de “Thunder” e “Dumb Young & Broke” (assista aqui).

Como esperado, Josh e Tyler não foram ao evento e nem publicaram nada a respeito, seguindo a onda de silêncio até o próximo álbum. Em seu discurso de agradecimento, Mike Shinoda agradeceu o apoio dos fãs de todo o mundo e o carinho de Imagine Dragons e twenty one pilots. Mike disse que conversou com Dan (vocalista do ID) e Tyler e que eles disseram coisas maravilhosas sobre Chester.

Linkin Park dedicou o prêmio ao vocalista Chester Bennington, que morreu em julho desse ano, e deixou uma mensagem: “tirem um momento para apreciar o que vocês têm”. Assista ao vídeo legendado:



Você pode conferir os prêmios e certificados que twenty one pilots já recebeu na nossa página CHARTS.


Assista também

twenty one pilots: Favorite Duo or Group + Favorite Artist #AMAs (legendado)

Performance de Stressed Out e Heathens no American Music Awards 2016 (legendado)


Acompanhe a MKBR

Facebook
Twitter
Instagram
Canal no YouTube 
Galeria de fotos
Grupo de fãs no Facebook

Comunicado

Por decisão unânime, a equipe da Mutant Kids Brasil decidiu dar uma pausa indeterminada nas atividades do portal.

No dia 02 de setembro de 2020, Tyler Joseph demonstrou indiferença a causas sociais que são importantes para nós e por isso não nos sentimos mais confortáveis em continuar o nosso trabalho de cobrir a banda twenty one pilots.

Depois de meses recebendo mensagens de fãs pedindo que ele se posicionasse em suas plataformas digitais em relação a tópicos importantes, como o movimento Vidas Negras Importam nos EUA e a crescente onda de homofobia na Europa, Tyler publicou uma foto usando tênis de plataforma (salto) como piada, dizendo que estava sim usando sua plataforma.

Horas depois de causar controvérsia, ele começou a falar sobre saúde mental, dizendo que é essa a sua causa, e que ele já carrega peso demais, mas que admira quem batalha por outras causas.

Não é a primeira vez que ele diz algo assim. Em 2016, quando o casamento homoafetivo foi enfim legalizado nos EUA (país onde Tyler mora), ele ficou em silêncio. Ao ser perguntado sobre o que ele achava, Tyler publicou uma mensagem dizendo que não havia postado sobre isso porque "qualquer outra causa, não importa o quão nobre seja, torna-se um peso grande demais para carregar". Ele pediu paciência até que um dia ele "consiga carregar mais peso".

Isso nos leva a concluir que Tyler ainda não aprendeu a carregar o "peso" que nós somos, 4 anos depois. Não sabemos se faz sentido dedicar nosso tempo e energia a alguém que nos enxerga desta forma. A impressão que temos é que as nossas batalhas não são as mesmas, como ele dizia. E isso nos magoa.

Não achamos que todas as celebridades são obrigadas a se posicionar sobre tudo. Mas acreditamos que as pautas sobre identidade estão diretamente ligadas à saúde mental, base sobre a qual a banda construiu sua carreira. Tyler mencionou dados sobre depressão e suicídio, por exemplo, mas ele não olha mais fundo na questão. Há diversos estudos que relacionam esses males ao preconceito que pessoas negras e LGBTQ+ sofrem. É preciso enxergar os fãs.

Não estamos publicando esse texto como uma tentativa de convencer vocês a pensarem como nós. Assim como muitos defendem a opção de Tyler de não se pronunciar, esperamos que entendam a nossa perspectiva. Nossa equipe é e sempre foi diversa, com contribuição de pessoas de diferentes estados, grupos sociais, gêneros, sexualidade, religião e posicionamento político. Infelizmente, não nos sentimentos tão acolhidos pela banda como antigamente, e assim como diversos outros portais pelo mundo estamos tomando essa decisão.

O site, as redes sociais e o canal no YouTube continuarão no ar para quem quiser conferir o conteúdo que publicamos sobre a banda desde 2014.

Holler Box
%d blogueiros gostam disto: