Atualizações de Dema e Trench: Parte 2

Publicado por Mutant Kids Brasil - Arquivada em 2018
_última atualização: 29 de janeiro de 2019
por Kaline Linhares e Matheus Lopes
inclui tradução de Weinnye Gaspareti e Brunna Lemos

AVISO: Devido ao grande número de informações, resolvemos dividir a matéria de atualizações do site de Dema. A primeira parte conta com tudo que aconteceu até o dia 11 de julho de 2018, quando twenty one pilots lançou “Jumpsuit” e “Nico And The Niners“.

Clique aqui para ler a primeira parte das atualizações.

Nós atualizaremos esta matéria sempre que o site de Dema for atualizado e avisamos nas redes sociais, então dê uma olhada até o final para conferir se escrevemos algo que você ainda não leu! Se quiser saber assim que postamos, ative as nossas notificações no Twitter ou no Facebook ou fique de olho nas stories do nosso Instagram!


[ATUALIZAÇÃO 18/07/2018]: Muitos pensaram que, com clipe sendo lançado e a banda ativa nas redes sociais, não teríamos mais atualizações no site de Dema. Mas hoje, por volta das 13h no horário de Brasília, o site foi atualizado com uma nova carta de Clancy, mais uma vez manuscrita, com a data 018 07MOON 18. O nome do arquivo é “unalone”, algo como “não sozinho”.

A carta parece descrever o que acontece no clipe de “Jumpsuit”, deixando claro para nós que nem Tyler nem Josh é Clancy. Josh é um dos banditos e Tyler foi levado por um dos Bispos, que é a pessoa no cavalo.

tradução:

“Eu não posso acreditar no que acabei de ver. Ainda estou tentando entender. Esse tempo todo tinha certeza que eu estava sozinho — uma única alma nesse vasto mundo desconhecido. Mas poucos dias nessa trilha, eu percebi uma figura indo na mesma direção que eu estava. Eu me escondi nessas cavernas e fendas, tentando o meu melhor para me manter escondido, mas ele estava lá fora a céu aberto, fazendo sua exaustiva jornada bem no meio de Trench. Eu estava curioso o suficiente para seguir o caminho dele. Ele se demonstrou sem medo do desconhecido — o medo que tende a me paralisar. Para ele, o terreno parecia familiar, como se ele já tivesse estado aqui fora antes.
Enquanto estava perdido na minha curiosidade, eles apareceram. Eu havia ouvido sobre eles quando estava em Dema, mas, para o meu conhecimento, a história era simplesmente mito. Dez, vinte, e então pareciam ser cem Banditos apareceram no topo das montanhas, todos olhando para baixo, diretamente para ele. Ele apenas parou por um momento para olhá-los, e então continuou o seu caminho. Sua energia mudou, e eu não estava certo se ele estava assustado ou encorajado pela sinistra presença deles.
Eles avisaram a ele o que estava vindo. Era um borrão. Primeiro vendo a figura, depois os Banditos, e então meus olhos se abriram para o que se aproximava, o Bispo em cima de um cavalo branco chegando mais perto em nossa direção.
A figura parou e esperou. Quando o Bispo parou, eu estava certo que ele olhou para cima, diretamente para mim, então me escondi mais em uma caverna. A presença do cavaleiro pareceu paralisar o homem. Ele ficou parado ao ser abordado, impotente enquanto as mãos estendidas manchavam seu pescoço. Eu nunca vi um Bispo possuir tanto poder assim. Keons sempre pareceu bondoso e caloroso — este Bispo, pelo menos aqui, parecia ser outra coisa.
Então eu corri, e continuo correndo enquanto minhas pernas e pulmões podem suportar. Talvez esta carta será minha prova de que o que eu testemunhei não foi um sonho. Um milhão de perguntas correm na minha mente. Será que não sou o único viajando através de Trench?
Eu viajarei um pouco mais além, e talvez tenha um momento de descanso essa noite. Talvez eu tenha cometido um erro, deixando aquele lugar. Este ponto, entre dois lugares, está começando a parecer algo como um abismo profundo e sem esperança. Pelo menos Dema é um lugar que eu conheço e, em tempos como esse, sinto falta de tudo que eu conheço. Isso será muito mais difícil do que imaginei. Nada aqui fora é familiar. Eu testemunhei a presença de outros pela primeira vez hoje e me sinto mais sozinho do que nunca. Me dê cobertura!
— Clancy”


[ATUALIZAÇÃO 26/07/2018]: A banda divulgou o segundo vídeo do álbum, “Nico and The Niners”, dizendo que essa é segunda parte de uma história de três partes. Esperamos que uma terceira música e vídeo sejam lançados antes do lançamento de Trench em outubro para encerrar a saga dos clipes.

O vídeo de “Nico” mostra Tyler em Dema, depois de ter sido capturado pelo bispo em “Jumpsuit”. Josh aparece com outros banditos para resgatá-lo e deixam um símbolo de esperança para as pessoas que ainda estão presas na cidade. Postaremos uma matéria completa com interpretação do clipe em breve.


[ATUALIZAÇÃO 08/08/2018]: Nova música e vídeo lançados para concluir a trilogia de vídeos: “Levitate”.

Leia sobre o conceito da música e confira a letra e tradução aqui.

Também foi liberada a tracklist e a pré-venda do álbum, mas nenhuma atualização no site de Dema.


[ATUALIZAÇÃO 22/01/2019]: Depois de muitos meses sem publicações, o site recebeu uma nova carta de Clancy acompanhando o lançamento do clipe de “Chlorine”. A nova mensagem parece mostrar a percepção de Clancy sobre os acontecimentos após o vídeo de “Levitate”, que acabou com um dos bispos capturando Tyler no acampamento de Trench.

A carta possui o código 019 01MOON 22, referência à data em que foi publicada. Algumas letras estão riscadas ou manchadas, formando “sodeepnedbayou”. Isso parece ser a forma escrita do trecho em reverso presente na música “Nico and The Niners” e também uma possível referência a “Chlorine”, por ter um “Ned” ali no meio, nome do personagem do clipe. Você pode assistir ao novo vídeo acima e conferir letra, tradução e teorias na nossa matéria que será publicada em breve. Dê uma olhada na carta de Clancy e leia a tradução logo em seguida:

tradução:

“Não consigo encarar essa página por tempo suficiente para escrever o que estou realmente sentindo. Sou apenas forjado com mais perguntas: perguntas sobre o que presumi ser verdadeiro, perguntas sobre qual é o meu próprio caminho, e a pergunta que me atormentou toda noite em que deito aqui, de volta à cidade: Eu desisti?
A força que vi entre ele e seu bispo me pareceu tensa, e assustadora. Mas a memória daquela troca teve tanto tempo para infestar e se repetir em minha mente que estou me questionando até se eu me lembro dela corretamente. Eu presumi que o bispo estava vigorosamente recuperando seu sujeito, mas agora me pergunto se o bispo estava na verdade tentando salvá-lo, e ele recusou.
Permaneci lá fora por cinco dias depois de assistir isso acontecer. Não o vi desde então. Talvez ele tenha escapado, e ainda estivesse em Trench comigo. Talvez o bispo tenha o perseguido, e o trazido para casa.
Casa?
Eu acabei de chamar este lugar de ‘casa’?
Depois de toda a infinita beleza que vi lá fora, estou agora me convencendo de que na verdade estou melhor dentro desses limites?
Admito, foi mais difícil do que eu esperava. Nada poderia me preparar para o quanto o ‘desconhecido’ pode me consumir. Vastas paisagens e infinitas possibilidades, porém acopladas com infinito perigo. Fiquei ansioso. Fiquei cansado. Fiquei faminto. Cada passo que dei se tornou mais difícil que o último, pulando de um passo irregular e cheio de pedras para outro, ou me arrastando por uma floresta densa – tudo se tornou debilitante, e eu tinha certeza de que não poderia continuar.
Keons nos abordou ao nascer do sol em uma manhã. Eu não estava com medo. Eu estava aliviado. Depois de tudo que ele me ensinou, sua presença foi o momento mais reconfortante que tive em dias, e não pude deixar de ficar feliz por vê-lo. No verdadeiro estilo Keons, ele colocou seus braços ao meu redor, depois colocou suas mãos debaixo do meu rosto, olhou em meus olhos, e disse “Clancy, criança, vamos para casa.”
Estou aqui há algumas semanas agora, e enquanto as rotinas desse mundo são reconfortantes, e certamente mais fáceis do que a vida lá fora, minha mente continua saltando entre os dois lugares.
Qual deles é minha casa? Os bispos estão me protegendo, e as tochas nas colinas são perigosas? Ou é ao contrário? Meus sonhos me puxam de um mundo a outro, e me sinto perdido no meio de tudo isso.
Ainda há tanto que não entendo.

— Clancy”


AVISO: Devido ao grande número de informações, resolvemos dividir a matéria de atualizações do site de Dema. Esta é apenas a segunda parte. Clique aqui para ler a primeira parte.


Acompanhe a MKBR para mais novidades!

• Facebook
• Twitter
• Instagram
• Canal no YouTube 
• Galeria de fotos
• Grupo de fãs no Facebook

Comunicado

Por decisão unânime, a equipe da Mutant Kids Brasil decidiu dar uma pausa indeterminada nas atividades do portal.

No dia 02 de setembro de 2020, Tyler Joseph demonstrou indiferença a causas sociais que são importantes para nós e por isso não nos sentimos mais confortáveis em continuar o nosso trabalho de cobrir a banda twenty one pilots.

Depois de meses recebendo mensagens de fãs pedindo que ele se posicionasse em suas plataformas digitais em relação a tópicos importantes, como o movimento Vidas Negras Importam nos EUA e a crescente onda de homofobia na Europa, Tyler publicou uma foto usando tênis de plataforma (salto) como piada, dizendo que estava sim usando sua plataforma.

Horas depois de causar controvérsia, ele começou a falar sobre saúde mental, dizendo que é essa a sua causa, e que ele já carrega peso demais, mas que admira quem batalha por outras causas.

Não é a primeira vez que ele diz algo assim. Em 2016, quando o casamento homoafetivo foi enfim legalizado nos EUA (país onde Tyler mora), ele ficou em silêncio. Ao ser perguntado sobre o que ele achava, Tyler publicou uma mensagem dizendo que não havia postado sobre isso porque "qualquer outra causa, não importa o quão nobre seja, torna-se um peso grande demais para carregar". Ele pediu paciência até que um dia ele "consiga carregar mais peso".

Isso nos leva a concluir que Tyler ainda não aprendeu a carregar o "peso" que nós somos, 4 anos depois. Não sabemos se faz sentido dedicar nosso tempo e energia a alguém que nos enxerga desta forma. A impressão que temos é que as nossas batalhas não são as mesmas, como ele dizia. E isso nos magoa.

Não achamos que todas as celebridades são obrigadas a se posicionar sobre tudo. Mas acreditamos que as pautas sobre identidade estão diretamente ligadas à saúde mental, base sobre a qual a banda construiu sua carreira. Tyler mencionou dados sobre depressão e suicídio, por exemplo, mas ele não olha mais fundo na questão. Há diversos estudos que relacionam esses males ao preconceito que pessoas negras e LGBTQ+ sofrem. É preciso enxergar os fãs.

Não estamos publicando esse texto como uma tentativa de convencer vocês a pensarem como nós. Assim como muitos defendem a opção de Tyler de não se pronunciar, esperamos que entendam a nossa perspectiva. Nossa equipe é e sempre foi diversa, com contribuição de pessoas de diferentes estados, grupos sociais, gêneros, sexualidade, religião e posicionamento político. Infelizmente, não nos sentimentos tão acolhidos pela banda como antigamente, e assim como diversos outros portais pelo mundo estamos tomando essa decisão.

O site, as redes sociais e o canal no YouTube continuarão no ar para quem quiser conferir o conteúdo que publicamos sobre a banda desde 2014.

Holler Box
%d blogueiros gostam disto: