[ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 21.07.2019]

Mutant Kids Brasil é a sua fonte interativa de informações sobre a banda twenty one pilots, que tem como objetivo informar, divertir e propagar a música diferenciada de Tyler e Josh no Brasil. Além de publicar as últimas novidades da banda, traduzir os conteúdos internacionais e também apresentar o que há de mais distinto no estilo musical deles por meio de artigos com análises e interpretações, também criamos os primeiros grupos no WhatsApp e no Facebook para reunir os fãs da banda no Brasil!

Não temos nenhum tipo de contato direto com a banda, seus integrantes, equipe ou familiares. Todo o conteúdo pertence à equipe do site, seja ele original ou tradução de matérias publicadas em outros idiomas. Caso queira utilizar algo, dê os devidos créditos.


História

Em setembro de 2014, nosso grupo no Whatsapp tinha apenas 21 pessoas (sério, 21). Antes do site ser criado, a última pessoa a ser adicionada foi P., uma das criadoras. Era difícil encontrar brasileiros que gostavam da banda e, mesmo já existindo um grupo no Facebook, nem todos se interessavam em conversar e conhecer outros fãs.

A era Vessel estava acabando e não havia nenhuma fonte brasileira realmente ativa relatando seus últimos acontecimentos e dando notícias sobre os shows. Talvez por não ter muitas pessoas acompanhando, não se animavam para postar mais conteúdo. Após uma página nos chamar para participar da equipe e depois sumir, discutimos sobre o assunto no grupo e resolvemos criar nosso próprio site.

No começo 7 pessoas se interessaram em participar, mas apenas 5 realmente ficaram: K., P., S., L. e F. Passamos a madrugada do dia 23 conversando, nos conhecendo melhor e decidindo os detalhes da nova página.

Assim escolhemos o nome Mutant Kids Brasil, inspirado na música “Guns For Hands”. Queríamos algo diferente e novo que tivesse um significado importante para a equipe e todos que poderiam vir a acompanhar o nosso trabalho. “Mutant kids”, assim como “twenty one pilots”, é uma citação.

“Guns For Hands”, como várias outras músicas, fala diretamente sobre problemas como depressão e sobre como essas condições pioram com a chegada da noite. A música sugere que as crianças mutantes, que são as pessoas que se identificam com os versos, direcionem essa desordem para a música, para que de alguma forma isso possa ajudá-las a terem suas armas transformadas em mãos novamente.

[Você pode ler mais sobre o significado da música “Guns For Hands”, explicado por Tyler Joseph, aqui e aqui]

Com o tempo, nosso número de seguidores foi crescendo e agora nosso grupo no Whatsapp está quase no limite de membros. Atualmente temos 18 grupos, 1 nacional (o famoso grupão) e 10 locais (RJ, SP, SC, PR, BA, MG, PE, BSB, CE e região norte), e outros que são mais específicos, como MKBRGo com pessoas que jogam Pokémon GO, MKBR TV para assistirmos a filmes e séries juntos e nosso clubo do licro (assim mesmo).

Como nos dedicamos muito a postar conteúdo em várias plataformas, nossa equipe de traduções também cresceu. No começo, apenas K. legendava enquanto todos traduziam na equipe de administradores, mas agora temos uma equipe separada dedicada apenas à tradução e legenda de vídeos e matérias (lista com nome de todos abaixo). Mais recentemente, alguns membros do grupão viraram moderadores do grupo do Facebook, que também cresceu muito.

Em 2016 começamos a fazer Cliqueniques (saiba mais aqui), encontros de fãs do twenty one pilots. Até agora já realizamos 19 Cliqueniques em 8 estados (SP, RJ, PR, RS, ES, BA, MG, CE) e DF.

No mesmo ano, fizemos nosso primeiro Jogos MKBR, onde realizamos desafios e jogos durante todo o mês de setembro para comemorar nosso aniversário. Na primeira edição, dividimos os participantes em 3 times, Alien (inspirado no Josh), Bear (Mark) e Skull (Tyler). Em 2017, devido a uma quantidade maior de participantes (por volta de 150!!), criamos mais um time, o Dino, inspirado no mascote da banda durante a Emotional Roadshow.

[Leia mais sobre Jogos MKBR aquiaqui e confira tudo que rolou em 2016 e 2017]

A MKBR não seria nada sem as pessoas que nos acompanham, principalmente as que estão conosco há anos. Agradecemos muito por tudo que vocês nos proporcionam e nos ajudam a conquistar. Como sempre falamos no grupo, vocês são a Mutant Kids Brasil. Obrigada por fazer parte disso.

Nós apostamos na aproximação com os fãs desde o começo, e por isso temos tantos grupos e interagimos o máximo possível nas nossas redes sociais. Nosso objetivo é atualizar os fãs com uma fonte interativa em português e divulgar o trabalho da banda para os brasileiros que ainda não conhecem twenty one pilots. Sempre incentivamos as pessoas a falarem e criarem, conversamos com vários fãs que acompanham a página e cada vez mais promovemos encontros além das telas.


 

Comunicado

Por decisão unânime, a equipe da Mutant Kids Brasil decidiu dar uma pausa indeterminada nas atividades do portal.

No dia 02 de setembro de 2020, Tyler Joseph demonstrou indiferença a causas sociais que são importantes para nós e por isso não nos sentimos mais confortáveis em continuar o nosso trabalho de cobrir a banda twenty one pilots.

Depois de meses recebendo mensagens de fãs pedindo que ele se posicionasse em suas plataformas digitais em relação a tópicos importantes, como o movimento Vidas Negras Importam nos EUA e a crescente onda de homofobia na Europa, Tyler publicou uma foto usando tênis de plataforma (salto) como piada, dizendo que estava sim usando sua plataforma.

Horas depois de causar controvérsia, ele começou a falar sobre saúde mental, dizendo que é essa a sua causa, e que ele já carrega peso demais, mas que admira quem batalha por outras causas.

Não é a primeira vez que ele diz algo assim. Em 2016, quando o casamento homoafetivo foi enfim legalizado nos EUA (país onde Tyler mora), ele ficou em silêncio. Ao ser perguntado sobre o que ele achava, Tyler publicou uma mensagem dizendo que não havia postado sobre isso porque "qualquer outra causa, não importa o quão nobre seja, torna-se um peso grande demais para carregar". Ele pediu paciência até que um dia ele "consiga carregar mais peso".

Isso nos leva a concluir que Tyler ainda não aprendeu a carregar o "peso" que nós somos, 4 anos depois. Não sabemos se faz sentido dedicar nosso tempo e energia a alguém que nos enxerga desta forma. A impressão que temos é que as nossas batalhas não são as mesmas, como ele dizia. E isso nos magoa.

Não achamos que todas as celebridades são obrigadas a se posicionar sobre tudo. Mas acreditamos que as pautas sobre identidade estão diretamente ligadas à saúde mental, base sobre a qual a banda construiu sua carreira. Tyler mencionou dados sobre depressão e suicídio, por exemplo, mas ele não olha mais fundo na questão. Há diversos estudos que relacionam esses males ao preconceito que pessoas negras e LGBTQ+ sofrem. É preciso enxergar os fãs.

Não estamos publicando esse texto como uma tentativa de convencer vocês a pensarem como nós. Assim como muitos defendem a opção de Tyler de não se pronunciar, esperamos que entendam a nossa perspectiva. Nossa equipe é e sempre foi diversa, com contribuição de pessoas de diferentes estados, grupos sociais, gêneros, sexualidade, religião e posicionamento político. Infelizmente, não nos sentimentos tão acolhidos pela banda como antigamente, e assim como diversos outros portais pelo mundo estamos tomando essa decisão.

O site, as redes sociais e o canal no YouTube continuarão no ar para quem quiser conferir o conteúdo que publicamos sobre a banda desde 2014.

Holler Box
%d blogueiros gostam disto: