Tyler Robert Joseph é um cantor, compositor, produtor e multi-instrumentista nascido em Columbus, Ohio, em 1 de dezembro de 1988 (30 anos). Ele é casado com Jenna Joseph. Tyler toca piano, keytar, sintetizadores, ukulele e baixo.

Tyler tem dois irmãos, Zack e Jay, e uma irmã, Madison. Sua mãe, Kelly, era uma professora de matemática no distrito escolar Olentangy antes de ser nomeada treinadora de basquete na Olentangy Orange High School em 2013. Seu pai, Chris, também foi um treinador na Worthington Christian High School durante 1996-2005, e foi diretor da escola. Tyler começou a jogar basquete quando ainda era muito jovem e passou a jogar no time da mesma escola que seu pai treinava. Em 2008, seu time de basquete ficou em segundo lugar no torneio estadual Division IV.

De 2007 a 2013, Tyler postou curtos vídeos cômicos no canal do YouTube “slushieguys”.

Depois de ver um compositor tocar no  High Street Club, ele rejeitou uma oferta de bolsa de basquete da Universidade de Otterbein e começou a tocar  música em um teclado velho de seu closet (um presente de Natal de sua mãe) e imitando melodias de rádio.

Sua primeira exposição real à música foi com o grupo de hip hop cristão, DC Talk.

Todos os membros da formação original faziam parte (Tyler ainda faz) da Igreja Nova Albany (New Albany Church). Você pode encontrar canções deles no Soundcloud da New Albany Church. Tyler e os outros integrantes são todos os cristãos devotos.

Apesar de não ser um grande jogador de videogame, como o próprio diz, Tyler indicou que ele e Josh Dun gostam de jogar Mario Kart 64 para Nintendo 64 quando têm tempo livre em turnê. Tyler também é muito fã das franquias Smash Bros. e Pokémon, além de jogar outros títulos online, como Rocket League e Fortnite.

Em 7 de julho de 2014, Tyler propôs Jenna em casamento em Paris, na França, e o casamento aconteceu no dia 28 de Março, 2015. Confira fotos do casamento aqui.

  • Tatuagens

Tyler tem uma tatuagem de três partes que representa “algo que salvou sua vida”. Embora os fãs imaginem que se trata de sua fé cristã, Tyler foi específico sobre o fato de que ele não quer o significado de suas tatuagens espalhadas por toda a internet. No entanto, ele já declarou algumas vezes que ele está disposto a dizer às pessoas uma por uma, se elas lhe perguntarem pessoalmente.

tradução:
“Eu vi esta questão várias vezes pelo tumblr e isso fez eu me perguntar: o que as suas tatuagens significam?”
“Boa pergunta. Minhas tatuagens explicam algo que salvou a minha vida. Eu adoraria conversar com você sobre os detalhes em um show, em algum momento, pessoalmente.”
Apesar disso, sabemos algumas coisas sobre as tatuagens do Tyler:
  • Ele tem um grupo de símbolos tatuados do antebraço direito: •|¡|• Ø ¡†! ]•[. “Ø” faz parte do alfabeto dinamarquês e também significa “ilha”, além de ser um símbolo matemático representado um conjunto vazio.
  • Os dois “i” que Tyler tem perto do ombro esquerdo formam uma cruz na parte sem tinta. Ele também tem retângulos vazios no lado esquerdo do peito que parecem formar outra cruz.
  • No lado direito do peito, Tyler tem uma tatuagem que forma uma ampulheta com mais areia na parte de baixo do que na de cima, provavelmente simbolizando como a vida é curta e o tempo passa rápido.
  • Tyler tem uma tatuagem de numerais romanos no braço direito. Os numerais são traduzidos para 43:16:33. Uma teoria de fãs é que se refere ao versículo 16:33 de João na Bíblia, que diz: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.”
  • Josh e Tyler também têm uma tatuagem da letra “C” com um “X” dentro, que simboliza o amor e a dedicação dos seus fãs da sua cidade natal. Eles fizeram a tatuagem no palco durante um show em Columbus no começo de 2013. A de Josh está localizada atrás da sua orelha direita e a de Tyler está em seu bíceps direito.
  • Os símbolos em cor preta no antebraço direito fazem surgir a frase “carpe noctem” na pele, em referência à famosa frase em latim “carpe diem”. Como a noite é um tema recorrente nas músicas de twenty one pilots, interpretando as canções é possível perceber a importância criativa da noite para Tyler.
  • Em uma brincadeira da banda feita em 2015 chamada de TOP Debate, Josh e Tyler convocaram os fãs para votarem em seu integrante favorito. O perdedor teria que fazer uma tatuagem com o nome do vencedor. A votação acabou em empate, e os dois fizeram tatuagens com o nome um do outro.
  • Tyler tem três linhas tribais em seu braço e antebraço esquerdos, perto do cotovelo, e linhas e pontos no pulso esquerdo.
"CARPENOCTEM" Tatuagem localizada no antebraço direito do Tyler que significa "boa noite".

“CARPENOCTEM” Tatuagem localizada no antebraço direito do Tyler que significa “aproveite a noite”.

Uma edição feita por nós para mostrar todas as tatuagens de Tyler.

  • Carreira

twenty one pilots foi formada em 2009 em Columbus, Ohio. Inicialmente uma ideia de Tyler, ele finalmente convidou seus amigos de escola Nick Thomas e Chris Salih. Ele pensou no nome da banda enquanto estudava “Todos Eram Meus Filhos” (No original, “All My Sons”), de Arthur Miller, uma peça sobre um homem que deve decidir o que é melhor para sua família e acaba causando a morte de vinte e um pilotos durante a Segunda Guerra Mundial porque conscientemente enviou peças defeituosas para o bem de seu negócio. Tyler explica que essa história de dilema moral foi a inspiração para o nome da banda. Em 29 de dezembro de 2009, eles lançaram seu primeiro álbum, autointitulado, e começaram a fazer shows em Ohio.

Em meados de 2011, Thomas e Salih saíram da banda e Tyler começou a ser acompanhado por Josh Dun. Dun foi apresentado a Tyler através de Salih, depois de trabalhar com ele no Guitar Center. Depois de lançar seu segundo álbum de estúdio, Regional at Best, em 8 de Julho de 2011, a dupla assinou com a Atlantic Records sob o selo da Fueled by Ramen, em abril de 2012.

Em 6 de dezembro de 2016, Tyler Joseph recebeu cinco indicações à 59ª edição do Grammy Awards. Três das indicações foram como cantor: Melhor Performance de Rock, com “Heathens”,  Melhor Performance de Duo/Grupo Pop, com “Stressed Out”, e Gravação do Ano, também com “Stressed Out”, na qual também foi creditado como produtor. Essas categorias eram compartilhadas com Josh Dun. As outras duas indicações foram pelo seu trabalho individual como compositor, nas categorias Melhor Canção de Rock e Melhor Canção Escrita Para Mídia Visual, ambas com “Heathens”.

Em 12 de fevereiro de 2017, Josh e Tyler subiram ao palco do Grammy Awards parece receber seu primeiro gramofone dourado, após serem anunciados como vencedores da categoria Melhor Performance de Duo/Grupo Pop. Apesar de só terem levado uma das cinco categorias, os garotos de Ohio chamaram a atenção de todos após subir no palco para fazer um agradecimento sem calças, relembrando a época em que assistiam ao Grammy em casa só de cueca se perguntando se um dia chegariam lá.

Quando a era Blurryface foi encerrada com o último show da Tour de Columbus, Tyler publicou uma foto em que lavava a tinta preta do seu corpo, representando o fim de suas aparições simbolizando o personagem que deu nome ao álbum. Após isso, tanto ele quanto Josh e os perfis da banda nas redes sociais ficaram em silêncio durante todo o resto do ano. Eventualmente, eles curtiam alguma publicação ou apareciam em fotos de fãs ou da família, mas mantiveram sua decisão de ficar afastados da internet para descansar e preparar o quinto álbum.

Durante o anúncio dos indicados à 61ª edição do Grammy Awards em 7 de dezembro de 2018, Tyler Joseph foi novamente indicado na categoria “Melhor Canção de Rock” pela composição de “Jumpsuit”.

Josh e Tyler não compareceram na cerimônia do Grammy em 10 de fevereiro de 2019, pois estavam fazendo shows na Europa. A categoria em que Tyler concorria foi anunciada no pré-show, e o gramofone dourado foi para “Masseduction”, da cantora St. Vincent, composta por ela e por Jack Antonoff.

  • Outros projetos

Tyler teve um projeto solo que contou com o lançamento de um EP intitulado No Phun Intended. O EP ficou disponível em sua conta no PureVolume. O NPI foi gravado no último ano de Tyler do ensino médio, de 2007 a 2008, em seu porão. A música “Save” foi relançada como download gratuito no site oficial do twenty one pilots anos depois, mas foi retirada do ar.

Em 2010, Tyler colaborou na canção “Live” do rapper cristão Jocef com outros dois rappers (Juda e Alon). A canção é a faixa de abertura do álbum de estreia de Jocef, “In Search Of: LOVE”. A faixa foi co-escrita por Tyler Joseph e Joseph “Jocef” Langston. Jocef acabou retornando o favor um ano depois, sendo convidado para fazer vocais na canção “Be Concerned” do álbum Regional at Best.

Em 2011, Tyler também foi a estrela principal na Five14 Church’s, em três episódios do documentário intitulado “The (moderately inspiring tale of the) Longboard Rodeo Tango”. Segundo o documentário, Tyler era um estagiário da igreja no momento.

Em 2012, Tyler foi destaque em um vídeo de sensibilização sobre o uso da internet intitulado “Where are you?” por Mark C. Eshleman (produtor de muitos dos vídeos de música da banda) para um concurso anual da Trend Micro chamado “What’s your story?”. A sala utilizada no vídeo é o mesmo quarto em que o vídeo original da música “House of Gold” foi filmado.

Em 24 de dezembro de 2013, véspera de Natal, Tyler Joseph participou e cantou “O come, o come, Emmanuel” no Five14 Church’s Christimas With The Stars em New Albany, Ohio. O vídeo oficial da performance foi colocado no YouTube em 14 de fevereiro de 2014. Ele também realizou um segmento de mágica com o apresentador e mestre de cerimônias da igreja, David McCreary, para o show.

Em 2014, Tyler foi segunda voz em Sickly Sweet Holidays, do Dallon Weekes.

  • Projeto solo

+ No Phun Intended, lançando entre 2007 e 2008.


links oficiais:

facebook | twitter | instagram | youtube | vine


Mais informações em História da banda e Integrantes.

Comunicado

Por decisão unânime, a equipe da Mutant Kids Brasil decidiu dar uma pausa indeterminada nas atividades do portal.

No dia 02 de setembro de 2020, Tyler Joseph demonstrou indiferença a causas sociais que são importantes para nós e por isso não nos sentimos mais confortáveis em continuar o nosso trabalho de cobrir a banda twenty one pilots.

Depois de meses recebendo mensagens de fãs pedindo que ele se posicionasse em suas plataformas digitais em relação a tópicos importantes, como o movimento Vidas Negras Importam nos EUA e a crescente onda de homofobia na Europa, Tyler publicou uma foto usando tênis de plataforma (salto) como piada, dizendo que estava sim usando sua plataforma.

Horas depois de causar controvérsia, ele começou a falar sobre saúde mental, dizendo que é essa a sua causa, e que ele já carrega peso demais, mas que admira quem batalha por outras causas.

Não é a primeira vez que ele diz algo assim. Em 2016, quando o casamento homoafetivo foi enfim legalizado nos EUA (país onde Tyler mora), ele ficou em silêncio. Ao ser perguntado sobre o que ele achava, Tyler publicou uma mensagem dizendo que não havia postado sobre isso porque "qualquer outra causa, não importa o quão nobre seja, torna-se um peso grande demais para carregar". Ele pediu paciência até que um dia ele "consiga carregar mais peso".

Isso nos leva a concluir que Tyler ainda não aprendeu a carregar o "peso" que nós somos, 4 anos depois. Não sabemos se faz sentido dedicar nosso tempo e energia a alguém que nos enxerga desta forma. A impressão que temos é que as nossas batalhas não são as mesmas, como ele dizia. E isso nos magoa.

Não achamos que todas as celebridades são obrigadas a se posicionar sobre tudo. Mas acreditamos que as pautas sobre identidade estão diretamente ligadas à saúde mental, base sobre a qual a banda construiu sua carreira. Tyler mencionou dados sobre depressão e suicídio, por exemplo, mas ele não olha mais fundo na questão. Há diversos estudos que relacionam esses males ao preconceito que pessoas negras e LGBTQ+ sofrem. É preciso enxergar os fãs.

Não estamos publicando esse texto como uma tentativa de convencer vocês a pensarem como nós. Assim como muitos defendem a opção de Tyler de não se pronunciar, esperamos que entendam a nossa perspectiva. Nossa equipe é e sempre foi diversa, com contribuição de pessoas de diferentes estados, grupos sociais, gêneros, sexualidade, religião e posicionamento político. Infelizmente, não nos sentimentos tão acolhidos pela banda como antigamente, e assim como diversos outros portais pelo mundo estamos tomando essa decisão.

O site, as redes sociais e o canal no YouTube continuarão no ar para quem quiser conferir o conteúdo que publicamos sobre a banda desde 2014.

Holler Box
%d blogueiros gostam disto: